Vampire Knight Tale
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

Aimée Dolohov - Vampiro Nobre

2 participantes

Ir para baixo

Aimée Dolohov - Vampiro Nobre Empty Aimée Dolohov - Vampiro Nobre

Mensagem por The Storyteller Sab Mar 17, 2012 7:30 am

Ficha atualizada
Spoiler:
|| Char ||

| Nome: Aimée Dolohov
| Data de Nasc./ idade: 24/01. Tem e aparenta 16 anos
| Local de Nasc. : França
| Sexo: Feminino
| Nome dos Pais: Lucian e Meredith Dolohov. Após a morte de ambos ficou sob a custódia de um parente distante, antes de sua viagem foi emancipada.
| Profissão: Aluno, Night Class
| Personalidade: Tranquila, gentil, sorri facilmente, mas tem dificuldade em confiar nas pessoas e em se envolver com quem quer que seja, mas quando passa a confiar de alguém, sua lealdade é inabalável.

|| Aparência:
| Altura: 1,69
| Peso: 48 kg
| Cor dos Olhos/ Cabelos: Olhos azuis safira e cabelos loiros claros
| Descrição Básica: Possui cabelos muito longos, dos quais se orgulha. Sempre está com seu colar e com um anel na mão esquerda.
| Foto:

Spoiler:
Aimée Dolohov - Vampiro Nobre 28e770ca195922bf78bb1af015165f274b164a2b

|| Disturbio/Doença ||
| Nome:
| Causas:
| Consequencias/Sintomas:

|| História ||

Não sei bem quando minha história começa. Talvez tenha sido quando meus avós se conheceram, ou quando entrei no avião que me levaria para o Canadá... Bem, creio que a essa altura um meio termo seja aceitável. Meus pais nunca foram muito queridos, levando em conta que eram fruto de um romance proibido, nada de surpreendente até ai.
Meus avós, quebrando as tradições de ambas as famílias, se recusaram a se casar com seus irmãos, o que enfureceu as famílias. Teria acabado dessa forma, não fosse terem fugido com suas heranças e se mudado para a França. Nada parecia capaz de impedi-los, ainda mais por serem nobres e os puro-sangue terem mais o que fazer. E ninguém os impediu. Viveram juntos por alguns séculos, até que tiveram seus filhos. Sim, apesar de tudo, Yiomi teve gêmeos. Um lindo casal. O menino era forte, esperto, inteligente e desde pequeno demonstrou força e habilidades acima da média. O chamaram de Lark, em homenagem a um amigo de ambos. A menina, pequena, doentia e frágil, chamaram de Aimée, pois apesar de tudo, era muito amada.
Essas duas crianças, por serem gêmeas, eram mal vistas, mesmo com seu sangue quase puro. Era claro para todos que a garota deveria ter morrido ainda no ventre materno, então pouco se importavam com ela, mas a alta sociedade vampírica admirava as habilidades de seu irmão, o que os levava a serem tolerantes com ela, já que o irmão tinha um estranho senso de proteção, guardando-a de todos os perigos e cuidando dela quando adoecia, o que acontecia frequentemente.
Os pais de ambos, meus avós, se suicidaram quando viram que os filhos poderiam se cuidar sozinhos. Estavam cansados de todas as batalhas e dos fingimentos da corte. Lark ficou furioso com a decisão de ambos, pois deixavam a irmã completamente a sua proteção. Ela era delicada, frágil e gentil, completamente vulnerável, além de cega. Desde pequenos sabiam que se casariam um com o outro, mas Lark temia pela vida da irmã caso se tornassem realmente parceiros, então evitava se aproximar.
Mesmo cega, minha mãe nunca foi tola, e entendia a preocupação do irmão, mas conseguiu fazê-lo mudar de idéia.
Viveram, apesar de tudo, quase um milênio sozinhos, felizes em um castelo medieval herdado dos pais, mas Aimée adoecia a olhos vistos, emagrecendo e se tornando ainda mais vulnerável do que já era, se recusando a receber o irmão e a contar a alguém o que tinha. Era quieta e solitária desde pequena e se essas características pareciam se acentuar ainda mais com o tempo. Quando se cansou do silêncio da parceira e invadiu seus aposentos, viu que talvez fosse muito tarde. Ela estava visivelmente fraca, mas agora sua fraqueza tinha um motivo. Ela estava grávida e todas as suas forças estavam concentradas no bebê prestes a nascer.
A criança nasceu, forte e saudável, mas a mãe ainda sagrava. Não seria nada fatal para uma nobre, mas um grupo de vampiros level E os atacou. Era clara a participação de algum poderoso vampiro, mas despreparados para o ataque, mesmo com a proteção do castelo medieval, invadiram e mataram a ambos, deixando a bebê viva.
Desde que nasci minha vida está marcada com sangue, meus pais foram considerados loucos por se suicidarem após meu nascimento, com minutos de diferença entre ambos. Fui criada pelo Conselho de Vampiros, quase como uma segunda Shizuka Hiou, pois também era mantida presa. Mesmo com essa criação, nada podia me atingir em minha torre. Traziam professores e me tratavam quase como a um puro-sangue, cuidavam de mim e me davam aulas especiais. Ainda não haviam encontrada alguém nobre o bastante para ser meu parceiro, mas acreditavam que uma educação esmerada atrairia, por si só, atenção.
Meus dias eram tediosos e iguais, sem diferença entre fins de semana, feriados ou coisas do tipo, sendo que minha vida se resumia a aulas e mais aulas. Fossem de etiqueta, de moda, ou para controlar minhas habilidades. Era assustador a maneira como me tratavam. Com 5 anos, era considerada uma verdadeira dama da sociedade, pronta para qualquer situação.
Meu passatempo favorito ainda era a música, que me distraia de problemas e me ajudava a relaxar.
Minha vida foi assim até que completei 15 anos. No dia de meu aniversário, quando completei essa idade, uma proposta de casamento chegou. Era vantajosa para ambos os lados, já que haviam poucos nobres, embora nem tão poucos que os obrigassem a “importar” garotas nobres.. Desejavam, na verdade, o que acreditavam que eu era. Uma mulher calma, tranqüila, obediente e que não se recusaria a obedecer às ordens do parceiro.
Não me contaram que ele era, o que fazia ou por que me escolhera entre outras mais próximas, mas me mandaram da França, minha terra natal, para o Canadá. Disseram que seria bom para mim viver em um lugar em que não conhecessem também os segredos de meus pais, não apenas esse, mas outros também. Como o fato de meu pai ter assassinado 2 puro-sangues em um acesso de raiva, quando um deles havia sugerido se casar com minha mãe. Ela, apesar de cega e fraca, ainda fizera muitos inimigos, sendo conhecida por seu temperamente gentil, mas difícil e por sua habilidade para enganar as pessoas, fazê-las acreditar em tudo o que queria. Por não ver, criava ilusões horrendas para quem não a agradava, sendo vingativa, possessiva e rancorosa.
Eu? Cresci cercada por luxo e opulência, em uma sociedade que presa muito as aparências e que se importa mais com quem são seus pais do que com quem você é. O Canadá era distante, diferente de tudo o que eu conhecia e deveria ser meu lar por algum tempo. Não me assustava a idéia de mudar de lugar, vendo neste novo colégio uma oportunidade nova de fugir de quem tentava me controlar. Mesmo que por ordem de meu pretenso companheiro, eu estaria em um lugar mais livre que o que antes ocupava. E não pretendia abaixar a cabeça e aceitar um casamento arranjado.

|| Segredo ||
Mesmo com a maneira que foi criada, quando soube da verdade, fugiu. Um puro-sangue que também vivia ali, quase da mesma forma e estava bêbado, já que era viciado nessa substância, a seguiu. Ele estava fraco e ela, furiosa, o atacou, acabando por matá-lo. Nunca ninguém descobriu a verdade, e seria quase impossível, já que tudo acontecera em uma floresta e logo depois começou uma das piores tempestades de todos os tempos, apagando qualquer vestígio.

|| Atributos:||

||Físicos:
| Força: 5 pontos
| Destreza: 9 pontos
| Vigor: 5 pontos
|| Sociais
| Carisma: 9 pontos
| Manipulação: 9 pontos
|| Mentais
| Inteligência: 8 pontos
| Percepção: 7 pontos
| Raciocínio: 8 pontos

|| Força de Vontade: 13

|| Pontos de Sangue: 10 pontos
|| Pontos de Vida: 60 pontos
|| Stamina: 30 pontos

|| Vantagens:
| VOZ ENCANTADORA
| LÍDER NATO
| CONHECIMENTOS EXTRAS

|| Desvantagens:
| PRESENÇA SINISTRA
| FAMILIA INDIGNA
| PESADELOS
| SEGREDO SOMBRIO

|| Perícias:
| Instrumentos Musicais *Piano, Harpa e Lira*
| Caligrafia
| Empatia com Animais
| Criptografia
| Redação
| Atuação
| Canto
|
| Condução – Veículos Automotores
| Artes Marciais - Boxe Tailandês

|| Poderes
| Elemento: Sangue
| Golpes: Tentáculos de sangue: O sangue, saindo do próprio corpo, se espalha ao redor como tentáculos, que podem ferir ou prender a pessoa, dependendo da vontade do usuário.
Prisão: O sangue do usuário ou da vítima toma uma forma esférica, como uma gaiola, tendo a mesma utilidade.
Captura de informação: Ao tomar sangue de pessoas, animais, ou mesmo pílulas de sangue, tem um informe de praticamente toda a vida da pessoa, vendo suas ações e motivações.
Explosão: Em momentos de emoções negativas muito fortes, sem ordem consciente, o sangue sai do corpo, se espalhando ao redor e repelindo qualquer um que tente se aproximar.
Absorção: Em momentos de nescessidade, pode absorver o sangue de outros sem tomá-lo, o trazendo em sua direção e fazendo com que saia do corpo de seu dono. Também pode usar esse sangue para ataques, poupando o seu próprio. Obs: não absorve lembranças e nem esperiência com esse ataque.
Veneno: Pode, quando deseja, transformar seu sangue em venenos, podendo ser do tipo mortal ou causar reações diversas, desde alucinações até paralisia.
Cura: Seu sangue se torna mais concentrado, contendo muitas células vermelhas e brancas, ajudando na cura de ferimentos e cicatrização de feridas em humanos, animais ou qualquer outro ser vivo.
Roubo de experiência: Ao ingerir sangue de outro vampiro do mesmo nível ou superior, absorve parte da experiência e das habilidades do mesmo, mas apenas por determinado tempo, dependendo da quantidade ingerida.

|| Equipamentos e Pertences:
Uma fita que usa atada no pescoço, que na verdade é um chicote, anel com o brasão da família e uma caixa de música de mogno, entalhada com o símbolo da família, uma rosa vermelho-sangue além de uma lira que pertencera a sua mãe e uma adaga que a mesma usava para se defender.

|| Recursos: 500 dólares canadenses.
The Storyteller
The Storyteller

Mensagens : 706
Data de inscrição : 16/03/2012

https://vampireknighttale.forumeiros.com

Ir para o topo Ir para baixo

Aimée Dolohov - Vampiro Nobre Empty Re: Aimée Dolohov - Vampiro Nobre

Mensagem por Makie Sex Dez 28, 2012 1:36 pm

Ficha atualizada
|| Char ||

| Nome: Aimée Dolohov
| Data de Nasc./ idade: 24/01. Tem 23 anos, mas aparenta 16.
| Local de Nasc. : França
| Sexo: Feminino
|
Nome dos Pais: Lucian e Meredith Dolohov. Após a morte de ambos ficou
sob a custódia de um parente distante, antes de sua viagem foi
emancipada.
| Profissão: Aluno, Night Class
| Personalidade:
Tranquila, gentil, sorri facilmente, mas tem dificuldade em confiar nas
pessoas e em se envolver com quem quer que seja, mas quando passa a
confiar de alguém, sua lealdade é inabalável.

|| Aparência:
| Altura: 1,67
| Peso: 49 kg
| Cor dos Olhos/ Cabelos: Olhos dourados a e cabelos loiros cinzentos.
|
Descrição Básica: Possui cabelos repicados até o fim da coluna, dos
quais se orgulha. Sempre está com seu colar e com um anel na mão
esquerda.
| Foto:
Spoiler:
Aimée Dolohov - Vampiro Nobre Tumblr_llry7aJ6AR1qdmxsio1_500

|| Disturbio/Doença ||
| Nome:
| Causas:
| Consequencias/Sintomas:

|| História ||

Não
sei bem quando minha história começa. Talvez tenha sido quando meus
avós se conheceram, ou quando entrei no avião que me levaria para o
Canadá... Bem, creio que a essa altura um meio termo seja aceitável.
Meus pais nunca foram muito queridos, levando em conta que eram fruto de
um romance proibido, nada de surpreendente até ai.
Meus avós,
quebrando as tradições de ambas as famílias, se recusaram a se casar com
seus irmãos, o que enfureceu as famílias. Teria acabado dessa forma,
não fosse terem fugido com suas heranças e se mudado para a França. Nada
parecia capaz de impedi-los, ainda mais por serem nobres e os
puro-sangue terem mais o que fazer. E ninguém os impediu. Viveram juntos
por alguns séculos, até que tiveram seus filhos. Sim, apesar de tudo,
Yiomi teve gêmeos. Um lindo casal. O menino era forte, esperto,
inteligente e desde pequeno demonstrou força e habilidades acima da
média. O chamaram de Lark, em homenagem a um amigo de ambos. A menina,
pequena, doentia e frágil, chamaram de Aimée, pois apesar de tudo, era
muito amada.
Essas duas crianças, por serem gêmeas, eram mal vistas,
mesmo com seu sangue quase puro. Era claro para todos que a garota
deveria ter morrido ainda no ventre materno, então pouco se importavam
com ela, mas a alta sociedade vampírica admirava as habilidades de seu
irmão, o que os levava a serem tolerantes com ela, já que o irmão tinha
um estranho senso de proteção, guardando-a de todos os perigos e
cuidando dela quando adoecia, o que acontecia frequentemente.
Os pais
de ambos, meus avós, se suicidaram quando viram que os filhos poderiam
se cuidar sozinhos. Estavam cansados de todas as batalhas e dos
fingimentos da corte. Lark ficou furioso com a decisão de ambos, pois
deixavam a irmã completamente a sua proteção. Ela era delicada, frágil e
gentil, completamente vulnerável, além de cega. Desde pequenos sabiam
que se casariam um com o outro, mas Lark temia pela vida da irmã caso se
tornassem realmente parceiros, então evitava se aproximar.
Mesmo cega, minha mãe nunca foi tola, e entendia a preocupação do irmão, mas conseguiu fazê-lo mudar de idéia.
Viveram,
apesar de tudo, quase um milênio sozinhos, felizes em um castelo
medieval herdado dos pais, mas Aimée adoecia a olhos vistos, emagrecendo
e se tornando ainda mais vulnerável do que já era, se recusando a
receber o irmão e a contar a alguém o que tinha. Era quieta e solitária
desde pequena e se essas características pareciam se acentuar ainda mais
com o tempo. Quando se cansou do silêncio da parceira e invadiu seus
aposentos, viu que talvez fosse muito tarde. Ela estava visivelmente
fraca, mas agora sua fraqueza tinha um motivo. Ela estava grávida e
todas as suas forças estavam concentradas no bebê prestes a nascer.
A
criança nasceu, forte e saudável, mas a mãe ainda sagrava. Não seria
nada fatal para uma nobre, mas um grupo de vampiros level E os atacou.
Era clara a participação de algum poderoso vampiro, mas despreparados
para o ataque, mesmo com a proteção do castelo medieval, invadiram e
mataram a ambos, deixando a bebê viva.
Desde que nasci minha vida
está marcada com sangue, meus pais foram considerados loucos por se
suicidarem após meu nascimento, com minutos de diferença entre ambos.
Fui criada pelo Conselho de Vampiros, quase como uma segunda Shizuka
Hiou, pois também era mantida presa. Mesmo com essa criação, nada podia
me atingir em minha torre. Traziam professores e me tratavam quase como a
um puro-sangue, cuidavam de mim e me davam aulas especiais. Ainda não
haviam encontrada alguém nobre o bastante para ser meu parceiro, mas
acreditavam que uma educação esmerada atrairia, por si só, atenção.
Meus
dias eram tediosos e iguais, sem diferença entre fins de semana,
feriados ou coisas do tipo, sendo que minha vida se resumia a aulas e
mais aulas. Fossem de etiqueta, de moda, ou para controlar minhas
habilidades. Era assustador a maneira como me tratavam. Com 5 anos, era
considerada uma verdadeira dama da sociedade, pronta para qualquer
situação.
Meu passatempo favorito ainda era a música, que me distraia de problemas e me ajudava a relaxar.
Minha
vida foi assim até que completei 15 anos. No dia de meu aniversário,
quando completei essa idade, uma proposta de casamento chegou. Era
vantajosa para ambos os lados, já que haviam poucos nobres, embora nem
tão poucos que os obrigassem a “importar” garotas nobres.. Desejavam, na
verdade, o que acreditavam que eu era. Uma mulher calma, tranqüila,
obediente e que não se recusaria a obedecer às ordens do parceiro.
Não
me contaram que ele era, o que fazia ou por que me escolhera entre
outras mais próximas, mas me mandaram da França, minha terra natal, para
o Canadá. Disseram que seria bom para mim viver em um lugar em que não
conhecessem também os segredos de meus pais, não apenas esse, mas outros
também. Como o fato de meu pai ter assassinado 2 puro-sangues em um
acesso de raiva, quando um deles havia sugerido se casar com minha mãe.
Ela, apesar de cega e fraca, ainda fizera muitos inimigos, sendo
conhecida por seu temperamente gentil, mas difícil e por sua habilidade
para enganar as pessoas, fazê-las acreditar em tudo o que queria. Por
não ver, criava ilusões horrendas para quem não a agradava, sendo
vingativa, possessiva e rancorosa.
Eu? Cresci cercada por luxo e
opulência, em uma sociedade que presa muito as aparências e que se
importa mais com quem são seus pais do que com quem você é. O Canadá era
distante, diferente de tudo o que eu conhecia e deveria ser meu lar por
algum tempo. Não me assustava a idéia de mudar de lugar, vendo neste
novo colégio uma oportunidade nova de fugir de quem tentava me
controlar. Mesmo que por ordem de meu pretenso companheiro, eu estaria
em um lugar mais livre que o que antes ocupava. E não pretendia abaixar a
cabeça e aceitar um casamento arranjado, mesmo que fosse algo bom para
mim. E agora também havia Tohru... Eu queria poder proteger minha nova
amiga, e pretendia fazer exatamente isso. Cuidar dela.

|| Segredo ||

Spoiler:
Tem uma divida de gratidão para com Angelique, que salvou sua vida.

|| Atributos:||

||Físicos:
| Força: 5 pontos
| Destreza: 9 pontos
| Vigor: 5 pontos

|| Sociais
| Carisma: 9 pontos
| Manipulação: 9 pontos

|| Mentais
| Inteligência: 8 pontos
| Percepção: 7 pontos
| Raciocínio: 8 pontos

|| Pontos de Sangue: 10 pontos
|| Pontos de Vida: 60 pontos
|| Stamina: 30 pontos

|| Vantagens:
| VOZ ENCANTADORA
| LÍDER NATO
| CONHECIMENTOS EXTRAS

|| Desvantagens:
| PRESENÇA SINISTRA
| FAMILIA INDIGNA
| PESADELOS
| SEGREDO SOMBRIO

|| Perícias:
| Instrumentos Musicais *Piano, Harpa e Lira*
| Caligrafia
| Empatia com Animais
| Criptografia
| Redação
| Atuação
| Canto
| Culinária
| Condução – Veículos Automotores
| Artes Marciais - Boxe Tailandês

|| Poderes
| Elemento: Sangue
|
Golpes: Tentáculos de sangue: O sangue, saindo do próprio corpo, se
espalha ao redor como tentáculos, que podem ferir ou prender a pessoa,
dependendo da vontade do usuário.

Prisão: O sangue do usuário ou da vítima toma uma forma esférica, como uma gaiola, tendo a mesma utilidade.

Captura
de informação: Ao tomar sangue de pessoas, animais, ou mesmo pílulas de
sangue, tem um informe de praticamente toda a vida da pessoa, vendo
suas ações e motivações.

Explosão: Em momentos de emoções
negativas muito fortes, sem ordem consciente, o sangue sai do corpo, se
espalhando ao redor e repelindo qualquer um que tente se aproximar.

Absorção:
Em momentos de nescessidade, pode absorver o sangue de outros sem
tomá-lo, o trazendo em sua direção e fazendo com que saia do corpo de
seu dono. Também pode usar esse sangue para ataques, poupando o seu
próprio. Obs: não absorve lembranças e nem esperiência com esse ataque.

Veneno:
Pode, quando deseja, transformar seu sangue em venenos, podendo ser do
tipo mortal ou causar reações diversas, desde alucinações até paralisia.

Cura:
Seu sangue se torna mais concentrado, contendo muitas células vermelhas
e brancas, ajudando na cura de ferimentos e cicatrização de feridas em
humanos, animais ou qualquer outro ser vivo.

Roubo de
experiência: Ao ingerir sangue de outro vampiro do mesmo nível ou
superior, absorve parte da experiência e das habilidades do mesmo, mas
apenas por determinado tempo, dependendo da quantidade ingerida.

|| Equipamentos e Pertences:
Uma
fita que usa atada no pescoço, que na verdade é um chicote, anel com o
brasão da família e uma caixa de música de mogno, entalhada com o
símbolo da família, uma rosa vermelho-sangue além de uma lira que
pertencera a sua mãe e uma adaga que a mesma usava para se defender.

|| Recursos:

500 dolares canadenses.


Aimée Dolohov - Vampiro Nobre Assinaturafreya13
Aimée Dolohov - Vampiro Nobre Juneassinatura
Makie
Makie

Mensagens : 162
Data de inscrição : 16/03/2012
Idade : 32
Localização : Em algum lugar,Em lugar Algum

Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos